MIBGAS – Um mercado em rápido crescimento

Home/Featured (pt)/MIBGAS – Um mercado em rápido crescimento

MIBGAS – Um mercado em rápido crescimento

Depois da revolução do shale que disparou o mercado de gás natural nos EUA e da lei do clima na China, que pretendia substituir rapidamente carvão pelo gás em 2017, 2019 foi o ano em que o gás natural transformou o mix energético na Europa.

Em Espanha, esta commodity mudou dramaticamente o mix de energia, bem como o preço. O mercado de gás bearish alinhado com a urgência de combater as alterações climáticas ajudaram os países a anunciar vários prazos para o “phase-out” do carvão e demonstrar que foi possível somente por questões de mercado.

Figura 1 – Evolução do Mix de Energia em Espanha. Fonte: OMIE

Figura 2 – Energy Mix Evolution em 2019 (Espanha). Fonte: OMIE

2019 foi também um ano importante para Espanha e para o seu  Hub Ibérico de gás, o  MIBGAS,  com resultados e sucessos que atraíram os holofotes para este mercado “bebé”.

A procura nacional de gás foi de 398 TWh, 14% acima relativamente ao mesmo período de 2018 e o uso de gás para a produção de energia aumentou 80% devido aos baixos níveis de água e à enorme queda da produção de carvão, levando a uma redução das emissões de CO2 em 25%

Evolução do MIBGAS

Graças ao grande compromisso dos players de mercado e um forte interesse do governo, o MIBGAS tem vindo a duplicar o volume negociado ano após ano (Figura 3) subindo de uns tímidos 10 TWh em 2016 para mais de 56 TWh negociado em 2019, contabilizando perto de 15% da procura nacional.

Figura 3 – Volume Transacionado em MIBGAS. Fonte: MIBGAS

Além disso, o número de players no mercado continua a aumentar a um ritmo excecional superando os 100 em Julho de 2019, bastante acima dos primeiros 16 registados em Dezembro de 2015. O número de participantes no mercado é um dos 5 principais indicadores-chave para avaliar a maturidade de um mercado, porque são eles que trazem liquidez ao mesmo

Figura 4 – Evolução dos intervenientes no mercado na MIBGAS. Fonte: MIBGAS

Enquanto mercado organizado e regulado, o MIBGAS gere a negociação de produtos diários e do mês seguinte (M+1). O volume transacionado destes produtos foi de 48 TWh em 2019.

Desde Junho de 2018, o MIBGAS começou a apresentar também preços futuros de M+2 a M+4, Q+1 a Q+4, produtos de verão e inverno e, preços de Cal+1 e Cal+2. Este novo conjunto de produtos permitiu ao Hub aproximar-se dos seus irmãos Europeus, aumentando a transparência geográfica desta commodity.

Competitividade

Em termos de preços, 2019 foi o ano que permitiu ao MIBGAS tornar-se competitivo face aos principais hubs Europeus e mitigar o spread entre eles.

O mercado spot terminou o ano com o preço mais barato na Europa registando médias mensais a preços inferiores ao TTF em Novembro e Dezembro.

Figura 5 – Espalhe entre os mercados de pontos MIBGAS e TTF (D+1).

Os produtos Calendar só começaram a ser negociados em 2018, marcando um spread de 2 €/MWh do TTF e com um pico de 2,70 €/MWh verificado em Agosto. No entanto, durante o ano passado, o Cal Y+1 flutuou entre 1,50 e 2 €/MWh até meio do ano, mas o excesso de gás natural e o aumento das importações de GNL para a Europa conduziram a uma queda acentuada dos preços do MIBGAS, diminuindo o spread entre o mesmo e o TTF desde Setembro, efetivamente em Dezembro, o que significa que o spread entre os dois mercados foi negativo, tornando o produto do anual Espanhol mais competitivo do que o Holandês (TTF) e, portanto, o mais competitivo em toda a Europa.

Figura 6 – Spread entre MIBGAS e TTF Cal20. Fonte: MTECH

Tornar-se numa referência de GNL

É claro que o mercado interno continua a adaptar-se a esta nova realidade e Espanha ainda tem vários contratos a longo prazo com fórmulas indexadas a petróleo. No entanto, o potencial do GNL proveniente de países como o Qatar, os EUA e a Rússia, ajudará a Ibéria a desenvolver o seu mercado a um ritmo acelerado e a torná-lo numa referência para os preços do GNL a nível Europeu, devido à sua posição geográfica e às suas infraestruturas.

Com o objetivo de atingir esse patamar de referência, o MIBGAS começou a comercializar produtos de Short-term GNL, tornando-se no primeiro mercado organizado a oferecer este tipo de produtos para gás natural liquefeito. Desde o primeiro trimestre de 2019, é possível negociar volumes de GNL intra-diários e diários no MIBGAS, melhorando a transparência desta commodity nas 6 estações de regaseificação Espanholas.

O objetivo é aumentar a liquidez no mercado apresentando alternativas interessantes, atrair mais players, e por consequência, mais transparência no mercado, especialmente para o GNL onde o preço continua a basear-se principalmente em transações OTC.

A soberania da TTF como referência no mercado do gás é inquestionável, ultrapassando já o Henry Hub e o NBP inglês, mas estes mercados estão fortemente focados no gás canalizado. O potencial de GNL para a Ibéria é enorme e o MIBGAS tem uma oportunidade de ouro para competir diretamente com a referência asiática do GNL e tornar-se a maior referência para esta commodity que desempenhará um papel fulcral na transição energética para uma sociedade de baixo carbono.

Mas para alcançar a grandeza pretendida, as infraestruturas devem estar devidamente implementadas, de forma a ajudar o mercado ibérico a exportar volumes importantes e a abastecer o coração da Europa. O problema é que o sistema físico continua com alguns percalços, sendo o mais recente o cancelamento do projeto MIDCAT no ano passado, que teria sido crucial para aumentar a capacidade de interligação entre Espanha e França.

OUTLOOK 2022/2023

A tendência “bearish” de curto e médio prazo no mercado do gás natural é inquestionável e a situação global liderada por uma queda significativa da procura desta commodity pela Ásia agravou-se ainda mais com o impacto do coronavírus na China. No entanto, os preços a futuro do gás para 2022 e 2023 mostram aumentos superiores a 2€/MWh, prevendo um cenário de recuperação e normalização do mercado gasista.

Figure 7 – Evolução do mercado Y+1, Y+2, Y+3. Fonte: MTECH

Para a Magnus Commodities, esta situação de Contango sugere uma estratégia de gestão de risco a longo prazo com contratos indexados para os próximos dois/três anos, a fim de assegurar volumes e gerir o risco de flutuações abruptas do mercado.

Apesar da baixa liquidez e da falta de diversidade nos produtos, as fórmulas indexadas ao MIBGAS devem ser avaliadas e consideradas como uma opção devido aos spreads interessantes que estamos a assistir no mercado em relação aos principais Hubs Europeus. Além disso, se o mercado Ibérico continuar a duplicar o volume transacionado anualmente, em 2020 30% da procura espanhola deveria ser negociada no mercado organizado, aumentando a liquidez e a atratividade do mesmo.

Neste momento, uma indexação completa ao Mibgas é algo arriscado devido ao baixo nível de liquidez e maturidade deste Hub, mas para futuras negociações de contrato deve ser considerado como opção ter uma parte do volume indexado a este mercado local ou ter possibilidade de efetuar um SWAP de uma fórmula indexada a outro Hub para uma indexada a MIBGAS, especialmente tendo em conta o desempenho dos spreads em 2019.

É evidente a rápida transformação do panorama de gás natural na Península Ibérica, com os contratos a moverem-se cada vez mais das fórmulas indexadas a petróleo para os Hubs. Aqui, o índice de TTF é a principal referência neste momento devido ao seu incrível nível de maturidade, mas não podemos deixar de constatar que o MIBGAS tem vindo a evoluir de forma muito favorável e poderá tornar-se numa verdadeira referência na Europa em poucos anos.

Jorge Seabra | Energy Consultant

By | 2020-02-25T15:23:01+00:00 Fevereiro 25th, 2020|Categories: Featured (pt)|Tags: , , |Comentários fechados em MIBGAS – Um mercado em rápido crescimento